quinta-feira, 30 de maio de 2013

Temple Grandin - Filme

Temple Grandin, 2010 - Estados Unidos
Filme biográfico sobre Temple Grandin, uma mulher com autismo que revolucionou as práticas para o tratamento racional de animais vivos emfazendas e abatedouros. Visitando a fazenda de sua tia Ann no Arizona em 1966, Temple inicia seu primeiro contato com animais, que influenciariam sua vida e carreira. A jaula para prender bovinos a inspirou na construção de um aparelho para si própria para se refugiar de seus frequentes ataques de pânico.
Sua mãe Eustácia, mesmo com a recomendação médica de interna-la em uma intituição psiquiátrica, insiste em proporcionar-lhe educação formal. Em uma escola para crianças superdotadas, é encorajada por seu professor de Ciências, o Dr.Carlock. Este percebe seu talento em "pensar em imagens e conecta-las", e a incentiva a prosseguir sua educação em uma universidade. (http://pt.wikipedia.org/wiki/Temple_Grandin_(filme))

Acabamos de assistir ao filme "Temple Grandin". Emocionante!

Para quem me acompanha, sabe que não gosto muito de desabafos via Internet, pois fica difícil fazer com que o leitor entenda exatamente o que você quer dizer (até pessoalmente fica difícil, às vezes), mas fiquei pasma ao ver o relato no final em que Temple (interpretada por Claire Danes) diz que sua mãe a ajudou e a incentivou. Ela mesma diz que não falava até os quatro anos e relata sobre sua vida em frente a uma plateia, enfrentando todos os receios que a multidão lhe causa.

Ela disse recentemente em uma entrevista que ser autista é parte dela, mas que isso não a define. 

É assim que vemos o Nicolas: ele é autista, mas não é SÓ autista! Ele mesmo diz isso em sua palestra. Ele tem bem mais que uma única característica. Ele é fantástico, inteligente, perspicaz, bonito demais, companheiro, engraçadíssimo, esforçado... Tanta coisa que nem cabe aqui!

Mas porque algumas pessoas insistem em apoiar a Temple e dizer que nossa história (minha e de minha família com o autismo) é mentira? É por que ela é famosa? 

Eu a admiro desde sempre e fez parte de minha pesquisa quando descobri que o Nicolas era autista. Ela é um dos motivos de eu ter incentivado, e ainda incentivar, meu filho. 

Por que dois pesos e duas medidas? 

Bem, acho que desabafei um pouquinho, mas o importante mesmo é ver meu filho lindo evoluindo cada vez mais. Não o quero curado, eu o quero feliz. Sempre feliz :-)


Temple Grandin e Clare Danes (como a personagem)