quinta-feira, 26 de julho de 2012

Crises

Recentemente tenho assistido à série House, M.D. (que meus amigos Junior e Cris fizeram a gentileza de me emprestar todas as temporadas rsrsrs).

Em um dos episódios (Season 3, Episode 4 -Lines in the Sand) um garoto de 10 anos começa a gritar de dor, mas, como ele é autista, fica difícil diagnosticá-lo, pois a equipe médica não consegue tirar dele, de forma verbal, o que ele está sentindo ou que aconteceu para que ele ficasse doente.

Enquanto eu assistia ao episódio com meu marido e víamos o menino gritar e se debater, comentei com meu marido: Nossa ainda bem que o Nicolas não é assim...

Meu marido me olhou e disse: Você realmente já se esqueceu de tudo?

Então parei para refletir e me lembrei de todas as vezes que ele nem reagia às injeções e vacinas, à falta de noção do perigo e, depois dos 03 anos e 08 meses, as gritarias nos consultórios, os médicos tendo que segurá-lo com lençol para conseguir uma amostra de sangue por causa da Púrpura...

É... até parece que eu já me esqueci. Mas acho que não é esquecimento. É que eu estou curtindo TANTO essa fase "pouco-autista" dele que a impressão que tenho é que nada daquilo aconteceu.

Digo "pouco-autista", não pela cura, pois ainda não há cura, mas pelo prognóstico que existia antes e que tanto mudou... 

Eu espero nunca realmente esquecer de tudo o que ocorreu para que, cada dia mais, eu possa ter a glória de agradecer a Deus o milagre da vida. Duas vezes!

Obrigada, Senhor, pelo milagre da vida.