quarta-feira, 6 de abril de 2011

CAPÍTULO 14

Comecei a mergulhar cada vez mais e mais em estudos sobre o assunto e uma das coisas que me chamou a atenção é como os estudos no Brasil estavam bem mais atrasados em relação aos Estados Unidos. A maior parte das informações estava em inglês e até que havia alguns sites bons em português, porém se você não tivesse lido em inglês primeiro, ficava muito difícil de realmente entender o que estava acontecendo na cabecinha do meu filho.
Passei noites e noites acordada para conseguir uma informação que me guiasse até o caminho das pedras. Estranho, mas nunca procurei pela cura e sim por explicações para que eu pudesse entender como trabalhar com meu filho. Eu precisava do mapa para chegar no abismo que ele estava, dar-lhe a mão e dizer: “Vem meu amor. Está tudo bem aqui no nosso mundo. Pode vir que a mamãe vai te ajudar”.
(...)
*Leia mais no livro "Meu filho ERA autista" - informações: meufilhoeraautista@yahoo.com.br