quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Palavras do Papai

É engraçado porque, às vezes, eu me pego pensando em todo o processo de sociabilização do Nicolas. Como se eu fizesse um inventário mental, entende? Eu sinto que aprendi muito mais com ele do que ensinei. Isso porque a maneira como ele enxerga o mundo é muito simples para o que achamos complicado e, às vezes, muito complicado para o que achamos simples. Assim, fui levado a entender e passar a acreditar em muitas óticas distintas acerca de um mesmo ponto de vista ou ponto de partida.

Esse processo me trouxe subsídios, antes inexistentes, e me ajudou a entender melhor o mundo e a valorizar mais as relações humanas. Parece loucura, não é verdade? Um ser humano que não é favorável à comunicação com os demais seres humanos, me ensinar acerca desse relacionamento. Mas é verdade!

Por vezes, fui questionado pelo o Nicolas porque nossas conversas deveriam ser tão extensas, ou porque ele deve dizer a um anfitrião que a comida está deliciosa, quando na verdade está terrível, ou porque as pessoas adquirem DVDs e jogos piratas, mentem, bebem e dirigem, ou até mesmo porque ele deve ir a festas de aniversário, sendo que tem medo de bexigas e de crianças, gritaria e a correria promovida pelos convidados de sua idade.

Fui tentando ter todas as respostas, mas notei que nunca terei todas e, isso, me faz feliz. Assim, poderei aprender mais e mais.