sábado, 18 de agosto de 2012

Cartas para Deus - Filme



Acabei de assistir ao filme "Cartas para Deus" (Letters to God - 2010), com o Nicolas, e, mais uma vez, percebi como Deus é grandioso e como nossa fé pode ser fortalecida através das batalhas. Basta saber lutá-las.

Fica claro, mais uma vez, que não podemos escapar da morte. Para os pessimistas, aqueles do "copo meio vazio", fica a pergunta: Mas se Deus é tão bom, então por que o garoto morreu?

Todos partiremos um dia. Sempre digo ao meu filho, Guilherme, que o importante é a marca que você deixará, logo, vale a pena viver em retidão e fazendo bem aos outros para que, quando você partir, deixe algo de bom neste mundo. Para que seus atos sejam reflexos de que Deus existe. A pergunta que me faço, desde que descobri que o Nicolas era autista, não era a famosa pergunta "por que comigo?". A pergunta que temos que nos fazer é: "Por que não comigo?".

Nosso egocentrismo não nos permite enxergar que, uma vez que a missão me foi dada, sou capaz. Temos a mania de nos martirizar, querer piedade por parte dos outros, nos lamentar, esconder da sociedade e, com isso, canalizamos nossa força de forma errada. É aí que a luta fica difícil, às vezes fica insuportável . É aí que mães e pais abandonam seus filhos, que irmãos, por ciúmes geralmente, se ressentem com seus irmãos que nasceram com alguma necessidade. Que os "amigos" desaparecem, afinal o "problema" não é deles...

Já as pessoas do "copo meio cheio", os otmistas, vivem tudo com muita alegria e é o que lhes dá força para uma vida melhor e o que, por consequência, torna a vida de todos ao seu redor melhor. "Por que não comigo?". É essa a pergunta que tem que ser feita. O garoto morreu, mas e todas as vidas que ele transformou na terra? TODOS PARTIREMOS UM DIA. Fato!

Já me disseram algumas vezes: Anita, parabéns! Isso é que é ser mãe! Com o passar do tempo tenho pensado: Mas, isso o quê é ser mãe? Todas as mães não deveriam cuidar de seus filhos como eu cuido dos meus? Qual a diferença? É por que eu tenho um filho autista e batalho para vê-lo cada vez melhor? Antes de ter um filho autista, eu tenho, simplesmente, um filho... Aliás, dois.

Não importa qual é sua luta: Autismo, câncer, HIV, Down, Sarcoidose, ou qualquer outra síndrome ou doença. O importante é que você foi escolhido. Então, dê valor à sua vida como ela foi dada a você e vá em frente. Mas vá feliz e verá a diferença :-)

"A memória do justo é abençoada, mas o nome dos perversos apodrecerá."
Provérbios 10:7