segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Declaração a respeito do último programa Divã do Faustão - Por Elizabeth Monteiro

Segue a carta de retratação que a psicóloga Elizabeth Monteiro colocou agora a pouco no Facebook. É importante que leiam e que ajudem a disseminar o mal entendido, para que nossos anjos não sofram preconceito de nehuma parte. Lendo o que ela escreveu, continuo achando que tudo não passou de um infeliz momento, mas que as proporções o tornaram pior e só causou mais dor a todos. Quem entendeu e quem não entendeu, saiu magoado e prejudicado.

Elizabeth Monteiro · 226 curtiram isso
há ± 1 hora · 
  • Declaração a respeito do último programa Divã do Faustão - Síndrome de Asperger e Psicopatia (2 assuntos totalmente diferentes):

    Li atentamente todos os comentários até o momento postados em relação ao programa de ontem. Antes de mais nada, esclareço que absolutamente nada foi apagado , o que fica evidente visto que os primeiros comentários datam de mais de 16h atrás e já somam algumas centenas, muitos que se repetem inclusive.

    Existe em minha família casos de Asperger e atendo em meu consultório autistas. Possuo não só grande experiência e conhecimento sobre o assunto como grande carinho, amor e respeito por estas pessoas. Por esta razão, sinto muitíssimo se em algum momento alguém possa ter entendido ou eu possa ter passado a menor impressão de que quando falava e alternava rapidamente entre dois assuntos completamente diferentes, Asperger e psicopatia, estaria falando sobre a mesma coisa ou estaria relacionando uma coisa com a outra.

    Na TV tudo é muito rápido, ainda mais em um programa ao vivo e extremamente dinâmico como é o Domingão do Faustão. Os assuntos surgem e mudam em segundos. Ao que tudo indica, passamos da citação do Aspeger para psicopatia muito rápido, talvez sem ter ter dado tempo a alguns de conseguirem assimilar que uma coisa não está relacionada a outra. Trata-se de um lamentável mal-entendido.

    Tão somente citei desconhecer o que aconteceu com o rapaz e que a única informação que possuía até o momento era da revista Veja, que havia mencionado que ele seria um portador de asperger. Comentei isso e mudei novamente o assunto para psicopatia. E é realmente um infeliz desastre se isso foi entendido da forma que os muitos comentários postados aqui afirmam que foi.

    Somos responsáveis por aquilo que dizemos, mas nem mesmo ao mais impecável orador é garantido o controle sobre o que as pessoas possam vir a entender, interpretar ou mesmo transformar suas palavras. Acredito que o vídeo possa ser revisto de forma que o que afirmo aqui seja percebido.

    Minha experiência com televisão não pode ser comparada com minha experiência como psicologa e educadora, mas estou aprendendo e essa foi mais uma grande lição para mim. Um erro que não cometerei novamente. Mas o erro foi de comunicação.

    Elizabeth Monteiro